Skip to main content

Pratique Francês com Música. Ma philosophie – Amel Bent

Pratique Francês com Música.

Ma philosophie – Amel Bent

Je n’ai qu’une philosophie
Être acceptée comme je suis
Malgré tout ce qu’on me dit
Je reste le poing levé
Pour le meilleur comme le pire
Je suis métisse mais pas martyre
J’avance le coeur léger
Mais toujours le poing levé

Lever la tête, bomber le torse
Sans cesse redoubler d’efforts
La vie ne m’en laisse pas le choix
Je suis l’as mais pas le roi
Malgré nos peines, nos différences
Et toutes ces injures incessantes
Moi je lèverai le poing
Encore plus haut, encore plus loin

{Refrain:}
Viser la Lune
Ça me fait pas peur
Même à l’usure
J’y crois encore et en coeur
Des sacrifices
S’il le faut j’en ferai
J’en ai déjà fait
Mais toujours le poing levé

Je ne suis pas comme toutes ces filles
Qu’on dévisage, qu’on déshabille
Moi j’ai des formes et des rondeurs
Ça sert à réchauffer les coeurs
Fille de quartier populaire
Qui a appris à etre fiere
Bien plus d’amour que de misère
Bien plus de coeur que de pierre

Je n’ai qu’une philosophie
Être acceptée comme je suis
Avec la force et le sourire
Le poing levé vers l’avenir
Lever la tête, lever le torse
Sans cesse redoubler d’efforts
La vie ne m’en laisse pas le choix
Je suis l’as mais pas le roi

{au Refrain, x3}

 

Minha filosofia – Amel Bent

 

Eu sigo apenas uma filosofia

Ser aceita como sou

Apesar do que os outros me dizem

Eu sigo de punho erguido

Pelo melhor ou como pelo pior

Sou mestiça, mas não mártir

Eu avanço com o coração leve

Mas sempre de punho erguido

 

Levantar a cabeça, estufar o peito.

Sem cessar redobrar os esforços

A vida não me deixa escolhas

Eu sou o às, mas não sou rei

Apesar de nossas angustias, nossas diferenças

E todas essas injurias incessantes

Eu levantarei o punho

Mais alto e mais longe

 

(Refrão:)

Visar/alcançar a lua

Isso não me faz medo

Mesmo a exaustão

Eu acredito ainda e gentilmente

Os sacrifícios

Se for  necessário eu o farei

já o fiz

Mas sempre com a punho erguido

 

Eu não sou como todas essas garotas

Que encaram,  que são despidas

Eu tenho formas arredondadas

Que servem para esquentar os corações

Garota de bairro popular

Que aprendeu a ter orgulho

Bem mais amor que miséria

Bem mais coração que pedra

 

Eu sigo apenas uma filosofia

Ser aceita como sou

Com a força e o sorriso

Com a punho erguido para o futuro

Levantar a cabeça, estufar o peito

Sem cessar e redobrar os esforços

A vida não me deixa escolhas

Sou o às, mas não sou rei

(Refrão 3X)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *