Skip to main content

A história do creme Chantilly.

Salut! Ça va?

O creme Chantilly surgiu na França, criado por François Vatel (1635-1671). Vatel percebeu que o leite da região de Chantilly, onde morava, era mais gorduroso e, por esse motivo, mais adequado à bateção. Desta forma, Vatel passou a transformar o leite em uma pasta vaporosa e densa, além de adicionar açúcar à mesma, originando assim, o creme mais usado nas confeitarias.

O creme criado pelo cozinheiro agradou tanto a corte francesa, que os senhores do castelo de Chantilly, deram ao creme o nome de seu castelo.

Happy (10)

François Vatel foi um cozinheiro muito dedicado e fazia suas receitas com muito amor e sua alma se alegrava em fazer suas recepções aos nobres da época. Levando à mesa, a maior qualidade e quantidade de refeições juntamente com entretenimento, organizava além das refeições, apresentações de teatro, de dança e música.

Em 1671, a França prestes a enviar suas tropas contra a Holanda, e o príncipe de Condé, via na guerra um modo de recuperar suas finanças e seu prestígio – ele, então pretendia comandar o exército francês. O Grande Condé encarrega então Vatel da maior tarefa de sua vida: promover três dias e três noites de festividades no castelo de Chantilly – serão convidados a passar um fim de semana de caça o rei Luís XIV e toda a nobreza com 3.000 pessoas.

Portanto, no 21 abril 1671 desfrutaram, com muita pompa e suntuosidade, os espetáculos organizados por Vatel. Tudo correu muito bem até que, no jantar da ultima noite, não havia assados para todas as mesas. Estressado pelo erro de cálculo, Vatel passou a noite em claro esperando os peixes para o dia seguinte. Ao perceber que a encomenda não seria entregue, assim, a versão oficial, Vatel suicidou-se em virtude do atraso do peixe, que ameaçou o sucesso dos jantares oferecidos à sua Majestade.

Numa outra versão, Vatel estava frustrado e decepcionado com a realeza que o tratara como um mero objeto – o rei quis contratar o serviço de Vatel e levá-lo para o Palácio de Versailles, ganhando sua posse num jogo de cartas, como um escravo – e nem reconhecia seu raro talento nem a sua humanidade. Sua morte foi tratada como uma tragédia nacional, principalmente depois que se soube que o peixe havia chegado e tudo não passava de um mal-entendido. O rei e a corte admiraram a sua atitude e continuaram os banquetes. Le pauvre Vatel.

A tragédia do chef de cozinha que morreu por falta de peixes rendeu um ótimo filme que recomendo “Vatel – Um Banquete para o Rei”  em que Gérard Depardieu vive o cozinheiro e todas as suas atribuições para agradar a sua Majestade.

Happy (5)

É importante salientar que há uma controvérsia a atribuição da criação do creme Chantilly à Vatel. Dizem que os confeiteiros, os mestres de Florença, já batiam cremes com batedores e ajuntavam açúcar e aromas muito antes do cozinheiro Vatel.

Mesmo que tenha outra versão italiana para a autoria deste creme tão gostoso e conhecido.

Eu ainda prefiro a versão do Chantilly ter sido realmente uma criação do famoso François Vatel, assim temos uma desculpinha ótima para visitar a cidade de Chantilly na França e provar o creme original direto de sua terra natal… E você não vai querer fazer o mesmo também? ..rsrs

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *